Andaluzia: os encantos do sul da Espanha!

Diego Canhada - 29/01/2017
Andaluzia

O Reino da Espanha está organizado política e administrativamente em forma de Comunidades Autônomas, que seriam similares ao nossos estados brasileiros. A diferença é que aqui, além das comunidades, há também as províncias que constituem essas comunidades. Andaluzia é uma comunidade no extremo sul do país, sendo a mais populosa e a segunda maior em extensão territorial. É nessa parte do país que mais se percebe a influência árabe, já que foi a região da Península Ibérica onde mais tempo permaneceram: a partir de 711, quando chegaram pelo norte da África, até 1492, quando foram expulsos pelos Reis Católicos.

É uma das regiões mais pobres do país e de toda Europa Ocidental, pois a falta de desenvolvimento industrial lhe deixou muito vulnerável à crise de 2008, o que faz com que os níveis de desemprego sejam dos mais altos da Espanha e de toda União Europeia. Entretanto, o turismo é hoje um dos principais motores econômicos da região e é compreensível: a região é cheia de atrativos! Apesar de não possuir a mesma fama no Brasil que possuem Barcelona, Madrid e mesmo Ibiza, é uma região que merece a pena ser visitada e conhecida.

Entre os muitos destaques da Andaluzia, cito apenas alguns: algumas cidades possuem monumentos árabes belíssimos; a região produz aproximadamente 70% de todo azeite de oliva da Espanha, que é disparado o maior produtor mundial, sendo alguns deles de qualidade inigualável; é a terra onde surgiu o flamenco e o local mais indicado para se ver um espetáculo; é uma região que, de forma geral, é bem mais barata do que o resto do país; em algumas de suas cidades a cultura de tapas assume sua expressão máxima. Há várias cidades e mesmo praias da Andaluzia que são famosas em todo país. Nós tivemos oportunidade de conhecer apenas duas de suas cidades e nos fascinaram: Sevilha e Granada. Abaixo deixo algumas linhas sobre elas:

Sevilha: é a capital da Andaluzia e a quarta maior cidade do país. Além da marcante influência árabe em sua arquitetura, a cidade se modernizou muito nos últimos anos. É uma cidade linda, para se perder no seu imenso centro histórico cheio de atrações, que é o maior do país e o terceiro de toda Europa. Foi em Sevilha que provei o melhor azeite de oliva da minha vida, assistimos um impressionante espetáculo de flamenco, vimos a praça mais bonita da Espanha e certamente uma das mais belas do mundo (Plaza de España), sem contar que as paisagens urbanas na orla do rio Guadalquivir são incríveis. Como ponto central, não se pode deixar de subir na imponente torre da Giralda (antiga mesquita árabe) para ver a magnitude e diversidade da arquitetura da cidade.

Granada: foi a última capital do reinado árabe na Península Ibérica. A cidade é famosa em toda Espanha pela cultura de tapas e pela alegria dos seus bares, cheios de gente em clima de festa total. Em um país em que os bares e as tapas são uma instituição nacional, Granada é o local por excelência para isso: a cada copo de bebida se pode escolher gratuitamente generosas e variadas porções de tapas espanholas. Além disso, a cidade possui um antigo bairro árabe (Albaicín) que é fascinante. Como ponto central, não se pode deixar de conhecer a Alhambra: uma cidadela que abrigava a corte do monarca muçulmano e era constituída de palácios, jardins e aposentos. É impressionante, tanto que ao lado da Sagrada Família (Barcelona), é um dos monumentos mais visitados em toda Espanha.

IMG_7852 IMG_7928 IMG_7927 IMG_7925 IMG_7904 IMG_7884 IMG_7868 IMG_7867 IMG_7875