#9 – 15/05/09 – Pelotas – RS – 2h35 – Sexta-Feira

Diego Canhada - 03/12/2016

Acordei como se um caminhão tivesse passado por cima de mim. Creio que pelo vinho, mas também pelo desgaste que o dia de ontem me causou. Rapidamente troquei de roupa, fui para uma lan house e lá passei a manhã. Em Porto Alegre chegou o frio, senti um pouco de saudades dos belos dias em Floripa: com o sol tudo fica mais fácil e alegre.

Voltei para casa do Gaúcho, almoçamos com a Mãe dele, demos bastante risada relembrando algumas loucuras das viagens anteriores e arrumei as malas. Me despedi dessa senhora com muita gratidão, Gaúcho chamou um táxi, me deixou na rodoviária e seguiu para seu escritório prometendo me encontrar na estrada em algum lugar. Às 16h peguei um ônibus e desembarquei às 19h30 em Pelotas.

Desembarquei e já comprei minha passagem para Santana do Livramento na segunda, decidi que vou mesmo passar em Montevideo antes de chegar em Buenos Aires. Cheguei de surpresa na casa da Velhinha e ela parecia feliz com minha chegada. Estava linda, sempre preocupada com minha comida e carinhosa como sempre. É super lúcida, mas sofreu um acidente que a deixou limitada no modo de se expressar.

Acho que se todos os defensores do neoliberalismo e da ideologia do Estado mínimo passassem a noite em um hospital público vendo um ente querido sofrer, mudariam suas concepções. Duvido que sustentassem suas crenças a respeito dos “benefícios” que surgem com o desmonte do Estado, concepções que tiveram muita força nos anos 90 em toda América Latina e que no Brasil não foi diferente.

As privatizações brasileiras foram um crime, não só pela sua concepção equivocada, mas especialmente pelo modo absurdo e corrupto como foram feitas. É um absurdo quando vemos pessoas sem o menor preparo, sem a menor inserção social e se elegendo para defender interesses próprios ou do grande capital. O país precisa de princípios nas estruturas de poder!

Bem, cheguei aqui, me alimentei e resolvi assistir TV para fazer companhia para a Velhinha. Só tragédia no jornal: corrupção na polícia, enchente no Nordeste, assassinatos de jovens, crise financeira, governo da França querendo censurar a internet e por aí vai. Me bateu um sono e uma fadiga enorme, tomei um chá e às 21h fui dormir.

Senti uma tristeza antes de dormir, mas enfim caí no sono. Acordei há pouco, me sinto melhor, escuto música e escrevo essas linhas. Dia difícil hoje, amanhã será melhor.